Cópula de alma em flor

 

Meu dorso encurva e cai... ecoa um grito...

setembro acolhe em luz os meus apelos.

Relume dos meus olhos tom aflito,

enquanto o céu cavalga em meus cabelos.

 

Luxúria de ceder ao teu delito,

vermelhos os lençóis, não sei contê-los.

Meu dorso encurva e cai... ecoa um grito...

setembro acolhe em luz os meus apelos.

 

Do lábio em traço forte – um flash bonito

avoca meu desejo. Ouriçam pelos,

chacoalho minha língua e um som emito.

 

De mundo em mundo aberto sou-te mito,

teu estro expele grãos e sem temê-los

meu dorso encurva e cai... ecoa um grito...

 

Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz

Rio de Janeiro, 4 de outubro de 2011 – 4h30

Fundo musical: Diana Krall. Quiet Nights.

Exibições: 186

Tags: Cópula de alma em flor, PEAPAZ, Soneto decassílabo, Sílvia Mota

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 6 outubro 2011 às 17:25

Literalmente, a poesia "aflora" em teu majestoso soneto. Elegantemente a sensualidade desfila em teus versos sem a menor cerimônia.

Estupendo.

Comentário de Hildebrando Souza Menezes Filho em 6 outubro 2011 às 12:26

Silvia querida...

 

Os dois duos poderiam ficar assim? Você é quem manda!

 

Cópula de alma em flor

 

Meu dorso encurva e cai... Ecoa um grito...

Setembro acolhe em luz os meus apelos.

Relume dos meus olhos tom aflito,

enquanto o céu cavalga em meus cabelos.

 

És a rosa em pétala mais perfumada

Outubro chegou a jardinar segredos

Retira a aflição e a repõe remodelada

Vamos construir unidos... Novo enredo

 

Luxúria de ceder ao teu delito,

vermelhos os lençóis, não sei contê-los.

Meu dorso encurva e cai... ecoa um grito...

setembro acolhe em luz os meus apelos.

 

O amor é melhor que qualquer conflito

Olhe aí no espelho e acenda tua centelha

Teu rosto iluminado reluz e é bendito

E a tua pele aveludada não tem parelha

 

Do lábio em traço forte – um flash bonito

avoca meu desejo. Ouriçam pelos,

chacoalho minha língua e um som emito.

 

Os teus sussurros soam como música

Aos meus ouvidos para eles atentos...

Mulher poetisa...  Sois intensa e lúdica

 

De mundo em mundo aberto sou-te mito,

teu estro expele grãos e sem temê-los

meu dorso encurva e cai... ecoa um grito...

 

Mergulhar no texto que tu soletras

É banhar-se em água pura e cristalina

Saciando a sede no orgasmo de letras.

 

Duo: Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz e Hildebrando Menezes

 

Primavera em mim Outono

 

Sou fêmea sacrossanta, a flor mais perfumada

e a primavera em mim desfaz qualquer degredo.

Renasço ao teu fervor, sou canto em passarada

a revoar sem dor as uvas de um vinhedo.

 

 Sou da espécie animal...  Projeto de homem

 Com as narinas, do bem e do mal, apuradas

Não sou apenas um mero produtor de sêmen

Protagonizo e rabisco versos à minha amada

 

A minha essência estrela é bela e aveludada,

reluz por toda a luz - do céu guarda o segredo.

Chopin Tristesse em mim refaz em namorada

um sem igual de amor, ao qual sorrindo cedo.

 

 É para ti mulher... Que compus o meu Noturno

Em suaves notas bem pausadas e compassadas

Do fundo da minha alma eu as assopro ao piano

Vindo aqui meio aos meus tropeços apressados

 

No verso que soletra a boca em tom lascivo

mergulho meu desejo e sorvo o sentimento.

Que banho sensual - sentir tão abusivo!

 

 Da sensitiva languidez que de ti se desprende

Abro os olhos fascinados fitos em teu semblante

Os meus lábios te degustam e aos teus se prende

Beijo sonhado e transmutado no ser transcendente

 

Outono em teu abraço é sonho e poesia,

sussurro ritmado, alcanço meu intento.

Das letras, meu prazer - és macho-fantasia!

 

Vieste lá dos céus a compor as flores primaveris

Toda a terra úmida arde e cheira fecunda em festa

E me despes o outono em pétalas sutis e pueris

É a força mais viril do amor que aqui se manifesta.

 

Duo: Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz e Hildebrando Menezes

 

Comentário de Hildebrando Souza Menezes Filho em 6 outubro 2011 às 12:08

Sou da espécie animal...  Projeto de homem

Com as narinas, do bem e do mal, apuradas

Não sou apenas um mero produtor de sêmen

Protagonizo e rabisco versos à minha amada

 

É para ti mulher... Que compus o meu Noturno

Em suaves notas bem pausadas e compassadas

Do fundo da minha alma eu as assopro ao piano

Vindo aqui meio aos meus tropeços apressados

 

Da sensitiva languidez que de ti se desprende

Abro os olhos fascinados... Fixos em teu semblante

Os meus lábios te degustam e aos teus se prende

Beijo sonhado e transmutado no ser transcendente

 

Vieste lá dos céus a compor as flores primaveris

Toda a terra úmida arde e cheira fecunda em festa

E me despes o outono em pétalas sutis e pueris

É a força mais viril do amor que aqui se manifesta

Comentário de Marcial Salaverry em 6 outubro 2011 às 11:17

Autenticas jóias literárias, abrilhantando cada vez mais o PEAPAZ...

Quedo-me aplaudindo o talento poetal aqui fvartamente derramado...

Osculos e amplexos parabenizatorios judiciosamente divididos,

Marcial

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 6 outubro 2011 às 5:33

Primavera em mim Outono

 

Sou fêmea sacrossanta, a flor mais perfumada

e a primavera em mim desfaz qualquer degredo.

Renasço ao teu fervor, sou canto em passarada

a revoar sem dor as uvas de um vinhedo.

 

A minha essência estrela é bela e aveludada,

reluz por toda a luz - do céu guarda o segredo.

Chopin Tristesse em mim refaz em namorada

um sem igual de amor, ao qual sorrindo cedo.

 

No verso que soletra a boca em tom lascivo

mergulho meu desejo e sorvo o sentimento.

Que banho sensual - sentir tão abusivo!

 

Outono em teu abraço é sonho e poesia,

sussurro ritmado, alcanço meu intento.

Das letras, meu prazer - és macho-fantasia!

 

Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz

Rio de Janeiro, 6 de outubro de 2011 – 5h28.

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 6 outubro 2011 às 3:42
Hilde, aceito teu dueto com a alma em flor. Lindo! Beijossssssss
Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 6 outubro 2011 às 3:38
Miguel Piçarra, teu poema resposta expõe a cópula como engenho humano dirigido à procriação, sem olvidar sua essência de puro e essencial prazer entre dois seres. Belamente constituído teu dueto. Obrigada. Beijossssss
Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 6 outubro 2011 às 3:32

*´¨)
¸.·´¸.·*´¨) ¸.·*¨)
(¸.·´ (¸.·` ***Obrigada a todos pelos Comentários!!!.....

__________*bjo*bjo*___*bjo*bjo*____________
______*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*____
____*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*__
_*bjo*________*bjo*bjo*bjo*_________*bjo*__
____*bjo*bjo*bjo*________*bjo*bjo*bjo*_____
______*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*____
__________*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*________
____________*bjo*bjo*bjo*bjo*bjo*__________
________________*bjo*_bjo*_________________
Comentário de Arlete Brasil Deretti Fernandes em 5 outubro 2011 às 22:04

Querida Silvia!

Soneto de uma intensa e imensa beleza! Sem palavras. Parabéns! Beijossssssssssssssss

Comentário de Marcia Portella em 5 outubro 2011 às 17:47

Bela e sensual mulher primavera............bjus

Aniversários

Aniversários de Hoje

Aniversários de Amanhã

PLÁGIO É CRIME!

ATENÇÃO!

O Portal PEAPAZ respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos que correspondam a atividades eleitorais de campanha e/ou textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso, a moral, os bons costumes e as leis nacionais. Da mesma forma, o Portal PEAPAZ poderá suspender e/ou desligar membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificares algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor, notifica-nos.

Badge

Carregando...
**